Pesquisas em andamento


Estudo sobre indústria e propriedade de mídia e de telecomunicações no Brasil (2011-2015)

Resumo: O principal desafio que se apresenta para a pesquisa brasileira sobre propriedade e concentração na indústria de mídia e telecomunicações é a sua função estratégica. É imperativo avançar para além do estudo de temas conjunturais, muitas vezes datados e sem continuidade em médio e longo prazos, que vá além de interesses acadêmicos ou profissionais localizados. Nesse sentido, o propósito central desta investigação empírica é explorar como se configura a propriedade e a concentração dos setores de mídia e de telecomunicações no Brasil na primeira década do século XXI (2001 2010) e as tendências que se apresentam no período imediato, entre 2011 e 2013. Para tanto, pretende identificar, contextualizar e analisar a participação dos conglomerados de mídia e telecomunicações nacionais e estrangeiros no mercado brasileiro. A coleta e a análise (comparada, transversal e aplicada) dos dados estão ancoradas no faturamento bruto anual de 10 setores: rádio, TV aberta, TV por assinatura, jornais, revistas, editoras de livros, telefonia com fio, telefonia sem fio, cinema (distribuição e exibição) e internet (provedores e sistemas de busca). O material reunido conduz ao segundo objetivo do projeto: construir, a partir do levantamento das informações apuradas no período 2001-2013, um banco de dados on-line vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UERJ. O referencial teórico utilizado pela pesquisa é interdisciplinar: abrange as geografias da comunicação, a geografia humana, os estudos de mídia e a economia das comunicações.

Integrantes: Sonia Virgínia Moreira (Coordenação); Marlen B. Couto (bolsista PIBIT CNPq), Guilherme Alves da Silva (Bolsista PIBIT CNPq) e Marcello de Souza Freitas (Colaborador).

Financiador: FAPERJ


Jacqueline da Silva Deolindo
Doutoranda PPGCOM UERJ

Economia e Espacialidade da Mídia no Interior Fluminense

O objetivo da pesquisa é mapear as regiões jornalísticas do interior do Estado do Rio de Janeiro tendo como referência a mídia diária impressa e on-line e realizar uma análise de sua economia. A escolha das duas modalidades de jornalismo se justifica, respectivamente, pela forma de jornalismo tradicional (impresso) e pela forma que melhor caracteriza a transição dos impressos para o digital. O projeto usa como referências a localização dos meios, seu contexto socioeconômico de produção e distribuição de conteúdo e suas zonas de influência. O trabalho é motivado pela seguinte questão-problema: como se estruturam as empresas que produzem notícias para os cidadãos em cidades pequenas e médias fora da região metropolitana? Para empreender esta investigação assumimos o jornalismo como uma das principais indústrias culturais, dotadas de espacialidade particular, e elegemos a geografia econômica, a economia de mídia, a economia política da comunicação e os estudos de jornalismo regional como referenciais metodológicos e teóricos.


Pedro Aguiar
Doutorando PPGCOM UERJ

Agências de Notícias do Sul Global: Estado, convergência e estratégias para a geografia da comunicação na periferia do capital

Na contramão dos fenômenos identificados por grande parte da pesquisa acadêmica em comunicação, centrada nas vanguardas do capital (que tem seu centro geográfico nos países do Norte, nominalmente Europa Ocidental, América do Norte e Japão), aqui se infere que as agências do Sul Global (a periferia do capital, na classificação wallersteiniana) vêm caminhando na contramão do processo de convergência, atuando como fornecedoras de informação internacional para suas sociedades e promovendo (ou tentando promover) a articulação de congêneres em fluxos Sul-Sul, ou contrafluxos (THUSSU, 2007), constituindo espaços comunicacionais contra-hegemônicos. O objetivo geral desta pesquisa é conformar um corpus teórico interdisciplinar para o estudo de agências de notícias no contexto da periferia do capitalismo, leia-se o Sul Global, de forma a subsidiar estudos futuros não apenas no Brasil, mas em outros países.


Emerson dos Santos Dias
Doutorando PPGCOM UERJ

O jornalista brasileiro no sistema público de radiodifusão: experiências profissionais nas emissoras da EBC

Esta pesquisa de doutoramento pretende analisar a atuação do jornalista profissional no âmbito do sistema brasileiro de radiodifusão (com foco especial nas emissoras de rádio), onde predomina o modelo de emissoras comerciais coexistindo com canais estatais, educativos e comunitários. Levando em conta as transformações nos sistemas de concessão e gestão das outorgas no Brasil, o projeto examina a conformação da mídia local (em particular as emissoras comunitárias) ao mesmo tempo em que observa os possíveis impactos na programação radiofônica com as possibilidades abertas para jornalistas no campo público da comunicação a partir da criação em 2007 da Empresa Brasil de Comunicação S. A. (EBC). O trabalho se baseia na teoria das mediações (MARTÍN-BARBERO, 1997) e nos conceitos de comunicação pública; usa como recurso metodológico a análise documental (estatísticas e documentos oficiais) e faz uma revisão bibliográfica dos estudiosos da história da radiodifusão brasileira e da linguagem dos meios de comunicação audiovisuais.


Silvana Lemos de Almeida
Mestranda PPGCOM UERJ

Marco Civil da Internet no Brasil: a construção do consenso do discurso midiático e a tensão entre o público, o privado e a sociedade civil

A mudança no panorama político de países da América Latina na virada do século e o cenário cada vez mais fluido do fluxo de informações impactaram o contexto contemporâneo, as relações sociais e econômicas, fizeram surgir uma nova cultura e tornaram imprescindível o estabelecimento de novos marcos regulatórios de comunicação. Vários discursos midiáticos se apresentaram nos percursos em busca da construção de consensos. Este projeto se propõe a analisar como tem sido divulgado na mídia as discussões da regulamentação das comunicações na América Latina e no Brasil e como isto tensiona três atores: o público, o privado e a sociedade civil. No contexto nacional, a pesquisa pretende identificar como a lei da internet brasileira foi afetada pelo contexto global de denúncias de vulnerabilidade e como o Estado brasileiro, no jogo de poder entre grupos hegemônicos e contra-hegemônicos e mesmo tendo aprovado o primeiro marco civil para a internet, não consegue mobilizar a arena internacional para criar regras mundiais de uso da rede.


Nelson Moreira da Silva Filho
Mestrando PPGCOM UERJ

Cadernos de Interior de O Dia, um exemplo de jornalismo regional independente de poderes locais

Este projeto tem como proposta analisar as edições dos Cadernos de Interior do jornal O Dia (suplementos diários voltados para regiões do interior do estado) publicados entre 1993 e 2005. A proposta é verificar seu alcance e validade como projeto editorial e empresarial e como parâmetro de informação e comunicação para o público-alvo por meio das repercussões na vida política e social das comunidades a partir de um novo referencial de modelo informativo. Pretende-se entender o processo de assimilação por esse público (leitores, anunciantes, políticos, formadores de opinião e profissionais de comunicação), avaliar as mudanças nas formas de consumo da informação nas diversas regiões e registrar as transformações que as edições dos Cadernos de Interior de O Dia provocaram em veículos regionais/locais e no próprio trabalho dos responsáveis pela mídia a partir do contato diário e da concorrência com um veículo feito com base em um modelo empresarial e técnico mais moderno, profissional e, do ponto de vista econômico, mais independente.


Karla Azeredo R. Marinho
Doutoranda PPGCOM UERJ

Comunicação e inclusão digital no interior do estado do Rio de Janeiro: empoderamento de comunidades para o desenvolvimento local

Embora a Região Sudeste seja uma das regiões com maior número de conexões à internet, há tensões e conflitos que permeiam o acesso à comunicação digital. Segundo a Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílio (PNAD 2013) do Instituto de Geografia e Estatística (IBGE), no estado do Rio de Janeiro em 2012, 56,6% dos domicílios do estado possuíam computador com acesso à internet, dos quais 48% situados na região metropolitana. Os demais 8,6% estariam distribuídos nos limites metropolitanos e no interior do estado, sendo que as regiões da Costa Verde, do Norte, do Centro-Sul e do Noroeste Fluminense apresentariam os menores índices de computadores com acesso à internet, correspondendo a 30%, 28%, 27% e 23%, respectivamente. Políticas públicas de inclusão digital têm contemplado cidades do interior do estado com o intuito de inserir essas populações na sociedade da informação. Este projeto de tese pretende analisar, a partir do mapeamento dessas políticas públicas e da pesquisa de campo no Noroeste Fluminense, a relação entre o acesso à comunicação digital, o empoderamento social e o consequente desenvolvimento das cidades atendidas, com base nas alterações que se manifestam com a tecnologia no ambiente cultural, político, econômico e social dessas localidades.






Voltar